O que fazer com meu 13º

Sendo o mais aguardado dos salários, o 13º se tornou ao longo dos anos, a maior fonte de alivio no orçamento das famílias brasileiras no mês de dezembro.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O 13º caiu na conta e você não sabe o que fazer?

Normalmente, aproveitamos o bônus do 13º em lazer e presentes para o final de ano e viagens. Obvio que economizar, ainda mais no final do ano é mais complicado. O ideal é quitar as dívidas existentes, para começar o ano com o pé direito.

Por outro lado, mesmo gastando mais no final de ano, existem meios de aproveitar melhor o seu 13º e começar o ano tranquilo. Fazer esse capital render investido é uma ótima alternativa, você poderá usá-lo no futuro para concretizar um sonho ou projeto de vida.

Esse dinheiro a mais é uma ótima chance para investir, já que é uma receita extra que não é contabilizada no orçamento do mês. Investir esse montante irá te impulsionar na consolidação do patrimônio, por isso é essencial começar a implementar os bons hábitos de poupança em sua vida.

Não Precisa Investir Todo o 13º

Com a virada do ano muitas contas aparecem, como o IPTU, IPVA, o material escolar, por exemplo. Se existirem dívidas, desfrute desse 13º para quitar essas dívidas o quanto antes. Se o caso não é de inadimplência, cuide para ficar longe da bola de neve do endividamento com os gastos excessivos do natal e virada de ano.

Assim, separe o montante necessário para as contas atuais e as do início do próximo ano. O valor para os presentes e da viagem de final de ano também entram. Faça tudo sem sair do seu orçamento.

Feito isso, é hora de definir o quanto você vai investir. Tenha em mente que quanto mais poupar, maior será o rendimento do seu dinheiro. Atualmente, você consegue investir mesmo com pouco dinheiro, podendo investir em um CDB com uma aplicação de mil reais e ter uma boa rentabilidade.

Onde eu posso investir meu décimo terceiro salário?

O tipo de aplicação mais ideal nesse caso é em renda fixa, já que ela deixa o seu dinheiro com rendimentos positivos e normalmente possuem baixo risco envolvido. São investimentos simples de entender e aplicar, não é necessário acompanhar de perto o desempenho todos os dias, já que a maioria tem baixa volatilidade atrelada.

Primeiramente, entenda quais são os seus objetivos e metas. Fazer isso vai te auxiliar a perceber qual é o prazo ideal para esse investimento e a rentabilidade desejada para alcançar e realizar suas metas.

Alguns exemplos de investimentos em renda fixa:

CDB – Certificado de depósito bancário

CDB (Comprovante de Depósito Bancário) é um título de renda fixa privado emitido por bancos. Ou seja, você está emprestando dinheiro ao banco e em troca, ele te paga juros por isso. Para aplicar o seu 13º neste tipo de ativo, é necessário analisar a rentabilidade, prazo de vencimento e sua nota no rating do banco em questão.  

A maioria das instituições financeiras oferecem CDBs com taxas de rentabilidade que superam o CDI, isso quer dizer que o valor que você aplicou vai render mais que 7,65% ao ano (considerando o atual valor do CDI).

LC – Letra de crédito

É possível encontrar as LCs (Letras de Crédito) com um aporte inicial mínimo de até 1 mil reais. Este tipo de ativo é parecido com um CDB, mas, no entanto, é encarado como um investimento com um risco mais elevado.

O risco é mais elevado pois a LC é emitida pelas instituições financeiras, e com isso, o risco de elas falirem é mais elevado do que um banco. Com isso, a rentabilidade dessas letras de crédito geralmente é de percentuais mais elevados do CDI.

Sempre antes de fazer a aplicação, se informe sobre o vencimento, rentabilidade, aplicação inicial mínima e a nota no rating da instituição financeira.

Tesouro Direto

No Tesouro Direto você encontra título públicos emitidos pelo Tesouro Nacional, que é basicamente um empréstimo de dinheiro para o governo. Na hora de escolher, não se esqueça de verificar as opções de títulos disponíveis no mercado, junto com a sua rentabilidade e prazo de vencimento.

Dicas Para Quem Está Começando a receber o 13º

Comece a pensar no longo prazo

Consolidar um patrimônio demora e leva tempo. Saiba que o seu dinheiro vai render lucros com o trabalho do tempo e dos juros compostos a nosso favor, então seja paciente.

Controle

Ter controle é essencial. Você pode fazer isso por meio de apps para celular, planilhas ou até mesmo papel. Analise se os seus gastos são conscientes.

Aplique pelo menos 10%

Ter o hábito de poupar no mínimo 10% da sua receita é essencial, assim o seu patrimônio crescerá e ainda sobrará dinheiro para aproveitar o mês.

Diversifique

O primeiro passo é construir uma reserva de emergência. Feito isso, podemos pensar em aplicar em investimentos de mais risco, que possuem maior rentabilidade. Saiba que diversificar os investimentos é a solução para se proteger da volatilidade.

Podemos concluir que é possível quitar as dívidas, aproveitar o final de ano e aplicar uma porcentagem do seu décimo terceiro. O ideal é você fazer o planejamento do 13° para identificar as suas prioridades. Definido isso, é hora de estipular quanto você deseja aplicar em investimentos.

Vimos que para investir, não é necessário abrir mão das festas de fim de ano e do seu lazer. Separe uma parte do seu capital para ir de encontro dos seus objetivos de médio e longo prazos.

Quer orientação de como gastar seu 13º salário?

Faça seu Planejamento financeiro com a UPlanner, além de contar com uma equipe de especialistas, você receberá acesso ao nosso App para organizar suas Finanças pessoais e cuidar dos seus investimentos.

Leia também

Finanças Pessoais
Fernanda Veiga

Como Declarar o imposto de renda em 2022

O Imposto de Renda (IR), também conhecido como Leão, é um imposto de incidência anual aqui no Brasil. Basicamente, seu cálculo é feito a partir

Insights
Fernanda Veiga

Blockchain

O blockchain é uma espécie de livro contábil, em que são registrados vários tipos de transações.

Redes sociais

Copyright © 2021 . Uplanner

Baixe nosso app

Receba nossas novidades!